Sofrer por ansiedade não é nada normal

Sofrer por ansiedade não é nada normal

Tempo de leitura: 5 minutos

MUITOS DE NÓS SE PREOCUPAM SEMPRE, muitos de nós se preocupam de vez em quando.

Nos preocupamos com as finanças, nos sentimos ansiosos com as entrevistas de trabalho ou ficamos nervosos com as reuniões sociais.

Esses sentimentos podem ser normais ou mesmo úteis. Podem dar-nos um impulso da energia ou nos ajudar a focar. Mas para pessoas com transtornos de ansiedade, eles podem ser esmagadores.

Afinal, o que é a Ansiedade?

Transtornos de Ansiedade afetam quase 1 em cada 5 adultos a cada ano. As pessoas com estes transtornos têm sentimentos de medo e incerteza que interferem com as atividades cotidianas.

Transtornos de ansiedade também podem aumentar o risco de outros problemas médicos, como doenças cardíacas, diabetes, abuso de substâncias e depressão.

Os distúrbios de ansiedade estão entre os distúrbios psiquiátricos mais comuns, com uma estimativa de 1 em cada 3 sofrendo ansiedade em algum momento durante a infância ou adolescência, diz a Dra. Susan Whitfield-Gabrieli, especialista em imagem cerebral no Massachusetts Institute of Technology.

Tenho ansiedade, e agora?

Para Márcio Ferreira, criador do Poder da Consciência, todos os membros de uma família obedecem a uma ordem de amor e fidelidade, visando manter o equilíbrio do funcionamento desse sistema.

Quando falamos de sistema familiar, temos que ter em vista que os membros que constituem uma família vão muito além de avós, pais e filhos.

Saiba que nossa família é formada por várias gerações de antepassados que tiveram histórias, alegrias, dores e que ajudaram a construir a nossa própria história.

Quando uma família se encontra com seu sistema em desequilíbrio, um dos mecanismos que funcionam como um alarme de que algo está ameaçando são as doenças.

E como falamos em fidelidade, por amor nos responsabilizamos por sentir os sintomas emocionais ou físicos de nossa família de origem.

Como resolver a minha ansiedade?

Pensando nisso, elaboramos um forma de auxiliar e ampliar nosso olhar sobre estas questões com o Poder da Consciência. Mas, vale lembrar, que qualquer sintoma é único e temos a nossa própria história familiar, não podendo ser generalizado.

Por isso, o principal comportamento que pode estar relacionados a transtornos de ansiedade e merecem atenção:

Enxergar perigo em tudo!

Indivíduos com transtornos de ansiedade em geral superestimam o perigo nas situações que temem ou evitam. O medo ou a ansiedade são excessivos ou fora de proporção.

Você já conheceu alguma pessoa que não viaja de avião por que tem medo de acidente aéreo? Está sempre pensando que o avião vai cair?

Um outro exemplo é alguém que passa por um procedimento ou exame médico simples e teme ter uma doença grave ou ficar incapacitado após o exame. Em casos mais extremos chega até a cogitar a possibilidade de morrer no procedimento.

A grande questão aqui é o excesso de futuro, pois sempre me pergunto ao encontrar casos de ansiedade na clínica: para quê esta pessoa precisa pensar que irá morrer, acontecer um acidente ou estar incapacitada de algo?

As grandes lições do Poder da Consciência mostram que esta ligação à morte, ou pulsão de morte, estão relacionadas ao desequilíbrio do sistema familiar.

Sendo assim, é como se disséssemos: “Querida família, há um problema no nosso passado que ninguém quer olhar, eu olho e sinto por todos vocês”. Ou, “Existe alguém que nossa família excluiu, então eu me excluo da vida para que ele seja lembrado”.

Infelizmente ou felizmente, nós achamos formas estranhas de colocar nossa vida em equilíbrio e sofrer pelo nossos problemas passados é uma forma de mantê-lo vivo.

O que a ansiedade simboliza sistemicamente?

Simboliza que algo não foi bem resolvido ou olhado da maneira que deveria, constituindo um “nó”. Sabe quando uma mangueira de água está embolada e a corrente de água não flui da maneira como deveria?

Assim o nó no sistema familiar também impede que a corrente de energia flua, causando consequências para ele. O sofrimento que foi vivido pelos antepassados, (apesar de muitas vezes não termos presenciado ou sequer tomado conhecimento), estão presentes em nosso sistema.

O Poder da Consciência pode ajudar nesses momentos?

O Poder da Consciência pode ajudar os integrantes do sistema a olharem para as dinâmicas que estão enfraquecendo e desequilibrando o sistema familiar, redirecionando forças para que as emoções sejam vivenciadas.

Por isso, geralmente atrelado ao “esquecimento de uma situação”, exclui-se também alguém que foi importante para o sistema familiar, vivo ou morto.

Desta forma, essa exclusão de pessoas e sentimentos caminha por gerações, clamando por inclusão e pertencimento, reorganizando as ordens do amor, reverenciando nossos antepassados.

Ao trabalhar essas questões, muitas vezes os sintomas da síndrome do pânico, ansiedade ou doenças em geral são amenizados de imediato, facilitando sua cura.

Portanto, sim!

O Poder da Consciência auxilia a compreendermos essa e muitas outras questões como: problemas de relacionamento de casal, com filhos, todos os tipos de vícios, problemas emocionais, dificuldades diversas, até problemas de saúde física podem ser compreendidos e amenizados.

Se você se identificou com as dores, doenças e sintomas: TEM CURA PARA VOCÊ. Os alunos do Poder da Consciência quando descobriram puderam descansar e colocar ordem em sua vida.

Você pode ser a próxima pessoa feliz, usando todo o Poder da Consciência.

Se você gostou deste conteúdo, comente, compartilhe e deixe saber o quanto você se identifica com ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *