Algumas verdades difíceis sobre os Relacionamentos Tóxicos

Algumas verdades difíceis sobre os Relacionamentos Tóxicos

Tempo de leitura: 3 minutos

Algumas pessoas vivem “relacionamentos tóxicos”, infelizmente. Certas pessoas se relacionam com quem acaba lhe fazendo mais mal do que bem. Mas nunca é só mal, por isso existe a relação.

 

Esse tipo de comportamento não é o mais comum e nem deve ser incentivado, mas acontece. As principais características dos “relacionamentos tóxicos” são:

  • Causar mal estar ao próximo(a)
  • Desvalorizar o(a) parceiro(a)
  • Ofender
  • Não respeitar as necessidades do(a) outro(a)
  • Não prestar atenção ao contrato e regras criadas na relação
  • Ações egoístas e impensadas
  • Atitudes grosseiras e mesquinhas.

Mesmo assim, algumas pessoas tem dificuldade para identificar que estão numa relação doentia, tóxica, que faz mal, e outras não. Porém, existem pessoas que tem tendência a buscar relacionamentos tóxicos, justamente pelo perfil psicológico. Algumas pessoas permitem que outras as desvalorizem por:

  • Baixa autoestima
  • Dificuldade de saber dizer não
  • Dificuldade de se impor
  • Dificuldade de respeitar os próprios limites e acabar sempre ou na maioria das vezes cedendo à vontade do outro
  • Submissão.

Pessoas com esse perfil de submissão tendem a ter dificuldade de relacionamento. Mas não significa que terão relações tóxicas. É preciso, também, escolher alguém que tenha uma personalidade forte ou até mesmo negativa para provocar sentimentos ruins ao outro. Isso acontece justamente pela dificuldade de se valorizar. Pessoas com essa dificuldade de se valorizar costumam:

  • Não conhecer a si mesmas bem o suficiente
  • Não saber as habilidades que possuem
  • Não receber atenção e carinho em casa
  • Sonhar com habilidades que não tem e passam a não dar valor as que possuem.

Há pessoas que vivem uma vez ou outra uma relação complicada, pois logo que identificam o padrão negativo do outro se afastam. Mas há aquelas pessoas que tem como padrão relações assim. O perfil de pessoas que insistem em relacionamento no qual não são valorizados e muitas vezes sofrem abuso físico e moral é:

  • Submissão
  • Desvalorização de si próprio
  • Foco no status de haver uma relação custe o que custar por medo do abandono, da dor da separação
  • Medo de ficar sozinho.

Como eu posso te ajudar?

Eu estava inconformado com a quantidade de pessoas que nunca enxergavam a simples solução para os conflitos nos relacionamentos, seja ele familiar, profissional ou até mesmo amoroso.

Eu também já estava indignado, porque eu sei que nunca é fácil admitir que temos problemas no relacionamento. Quando algo surge, temos a mania de minimizar a situação e varrer o problema para debaixo do tapete. Porém, isso não resolve nada, apenas adia.

Contudo, já ouvi muitas pessoas dizerem que não sabem como o relacionamento deu errado, que não perceberam que as coisas não estavam indo bem. No entanto, eu posso garantir: sempre há sinais. Pode ser uma palavra mal colocada, um gesto que não deveria ter acontecido. Pequenos fatos que deveriam ligar o sinal de alerta, mas que para proteger o coração, acabamos ignorando.

Desta forma, pensar que o nosso relacionamento está com problemas, seja ele qual for dói (e muito). Ninguém quer admitir que a relação, que na nossa cabeça é feliz e perfeita, na verdade está bem longe disso. Muitas vezes, só nos damos conta de que algo poderia ter sido feito quando é tarde demais.

Então, o fato é que eu não desisti de compreender meus pacientes e alunos. Foi aí que criei este a Semana das Relações Tóxicas, um passo-a-passo exclusivo para exterminar todo e qualquer tipo de Relações Tóxicas.

Assim, você participará de uma semana intensa com conselhos práticos para construir relacionamentos mais saudáveis com o parceiro, o chefe, os colegas de trabalho e até a sogra.
Agora, para participar desta semana que acontece de 07 a 13 de janeiro, você precisa agir e clicar aqui para se inscrever gratuitamente.
Agora é com você! Qual o estilo de vida você deseja viver em 2019?
Deixe seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *